O vídeo de “Like I Would” do Zayn é 99% incrível, mas podia ser 1% melhor

Com o novo single, “Like I Would”, o ex-One Direction Zayn Malik continua nos provando que a sua saída do grupo é uma das decisões mais inteligentes de sua carreira.

Claro, a decisão MAIS inteligente foi a que o colocou no mesmo momento que outros garotos britânicos que acabaram formando a maior boy band dos anos 2010, mas ficar no grupo inevitavelmente o levaria a perder fôlego, e como acontece em outras boy bands, se tornaria completamente irrelevante assim que suas fãs adolescentes se tornassem adultas, é o que aconteceu com Backstreet Boys, Westlife, Five, New Kids On The Block e muitos outros. Mas Zayn resolveu fazer como Justin Timberlake, a grande estrela que despontou do N’Sync, que resolveu seguir em carreira solo no momento em que o grupo passou da fase do apogeu.

Eu que sempre achei bem chato tudo que o 1D fez, pago língua eternamente, porque fui o primeiro a dizer “quem esse menino acha que é para seguir carreira solo?” Pois bem, o cd “Mind of Mine” veio e calou a minha boca e de tantos outros “naysayers“.

“Like I Would” vem em boa hora. Depois de dois singles mais calmos (“Pillowtalk” e “It’s You”) e do vídeo de “Befour“, um vídeo pop mais colorido com uma música mais acelerada mostra um frescor e uma diversidade no seu trabalho. Assim quebra a hegemonia do R&B romântico do disco. Aliás, “Like I Would” é o único uptempo do disco. Então se você quer ver mais de Zayn no ataque, vai ter que esperar até o próximo álbum, rs. E como ele se saiu nesse papel?

O vídeo dirigido pelo icônico X é um deleite visual. Simples na ideia mas muito rico no resultado. O jogo de luzes e lasers é de tirar o fôlego, e a armadura TRON do cantor é bem interessante. Destaque para essa lente laranja que é bem legal, hein? Parece até que “Like I Would” é um update século XXI do vídeo de “Rock With You” do Michael Jackson.

Masss, para um vídeo desse marcar uma carreira, faltou um 1% de atitude do Zayn (ou até mais, rs). A parte técnica está linda, mas ele entrega pouco. Esse jeitão “too cool to care” dele funciona melhor nas baladinhas, aqui faltou energia, talvez uma coreografia elaborada para ele, mas dança não vai ser a praia de sua carreira pelo visto. Uma pena, porque teria elevado tudo um patamar acima!

Exemplificando o que eu disse: é só ver os vídeos de “Yeah” do Usher e “Rock My World” do Justin Timberlake. O primeiro é basicamente a mesma coisa, Usher dançando entre lasers, mas é muito mais cativante e o segundo é Justin sendo Justin em um cubo de leds, não precisa dizer mais nada. Ambos tem a mesma ideia de “Like I Would”, o vocalista da música no centro de uma fonte de luz em meio ao nada, mas a dança desses aqui fazem toda a diferença.

Usher – “Yeah”

Justin Timberlake – “Rock Your Body”

Comentários

comentários

Deixe uma resposta