Tudo que o retorno de Adele promete com “Hello” e “25”

adele25

Voltamos às atividades! Acabaram as férias Don’t Skip, rs. Às vezes fico meio sem motivação porque a música anda meio marrom, mas aí vem a Adele e bota fogo em tudo.

Sério. Eu JURAVA que seria impossível ela fazer algo tão maravilhoso quanto “21”, principalmente porque agora tem uma vida feliz, e vamos concordar que vida feliz e música não combina, rs. Sofrimento, obstáculos, problemas sempre rendem assunto para artistas colocarem em melodias o que os afligem, e depois que fica tudo bem na vida, acaba a inspiração. Mary J Blige ficou mais sem graça quando envelheceu e deixou de ser aquela pessoa perturbada de “What’s the 411″. Britney teve em seu momento mais turbulento o disco mais aclamado pela crítica, o “Blackout”. Christina Aguilera, quando estava cheia de hormônios, cuspiu aquela maravilha pop chamada “Stripped”. Aí engravidou, virou mãe, ficou feliz e não fazia mais sentido músicas como “Not Myself Tonight”.

Então agora, com filho, marido, sucesso absoluto e milhões na conta bancária, achei que nosso rouxinol britânico ia decepcionar a Adelenation, que não teríamos um ano como 2011, mais conhecido como Two Thousand and Adeleven, aquele ano em que de cada 5 notícias sobre recordes na indústria fonográfica, 4 eram sobre ela.

7f3ba2761950c0a856d67c539878e9ee

Mas 2016 esta aí para ser dominado. Não tem como né? Adele é uma coisa única. “Hello” é uma power ballad que começa tímida mas explode em um refrão épico e massivo. Nada como a agressiva “Rolling In The Deep”, mas bem nos moldes do hit seguinte, “Someone Like You”. A produção não explode a cabeça por ser algo muito inovador, mas o resultado final de uma música como essa nos dá até arrepios.

A sacada que ela teve foi bem boa. O “21” foi o break-up record, dor de cotovelo pura, e o sucesso gigantesco poderia ter sido uma cilada para Adelz, que poderia tentar emular essa fórmula fazendo mais um álbum assim. Mas ao invés disso, aproveitou a felicidade atual para olhar para trás e ver o que já passou, aproveitar o momento para fazer as pazes com a cantora mais jovem. Em uma carta longa mas bem esclarecedora, ela evidencia que se o anterior foi sobre término e o “25” é sobre refletir e remediar. É algo que todo mundo se relaciona. Tem uma passagem que acho bem legal, quando diz que quando você é jovem, tudo que quer é envelhecer, mas quando envelhece, mesmo sabendo que aqueles anos anteriores não foram maravilhosos, você gostaria de poder voltar para essa fase. Não é à toa que “Hello” fala deuma ligação para alguém que ela machucou mas que queria consertar o erro, porém agora a pessoa não atende mais.  Outras músicas do trabalho como “Send My Love (To Your New Lover)”, “I Miss You”, “When We Were Young”, “Water Under the Bridge” e “Million Years Ago” deixam bem óbvio pelo títuloque passado é a palavra-chave da vez.

Voltando ao single de estreia, gostei de uma análise que pensa na hipótese que ela já morreu. Porque no vídeo, (filmado em Montreal e dirigido pelo Xavier Dolan) ela está tomando seu chá e tentando encontrar alguém que está “do outro lado”, mas a ligação não conecta.

“So hello from the other side…”, de que outro lado ela está? Do outro lado da linha ou do outro lado da vida? Bem melodramático, mas gostaria dessa ideia de que quando ela resolve remediar o passado já é tarde demais, ela já morreu, e por mais que tente ligar, não vai ter ninguém para atender. #AdeleMacabra

A mulher fica quase 5 anos sem lançar cd e quando volta parece que nunca se ausentou. A cadeira dela estava ali, reservada, esperando que voltasse. Que hit, que música maravilhosa. Que voz. Ela pode tirar as férias que quiser que a gente fica aqui só esperando. Eu pensava “IMPOSSÍVEL SER MELHOR QUE O 21″. Mas aí o “25” já começou prometendo. Para mim, se fosse um cd de acapelas dela que já era vencedor. Quando você tem uma voz como essa, o resto vira acessório. Quem ganhou prêmio ganhou, quem fez sucesso fez, agora dá licença por favor. Fica ali do lado para liberar o corredor porque tem gente mais importante vindo.

“25” está agendado para o dia 20 de novembro, já está na pré-venda e “Hello” já é #1 na maioria dos Itunes do mundo. Entre os produtores do disco estão Danger Mouse, Max Martin, Tobias Jesso Jr., e Ryan Tedder do OneRepublic.

Confira abaixo a capa do álbum, a tracklist oficial e a carta que ela escreveu explicando o seu processo criativo e o que a inspirou.

adele25

1. “Hello”
2. “Send My Love (To Your New Lover)”
3. “I Miss You”
4. “When We Were Young”
5. “Remedy”
6. “Water Under the Bridge”
7. “River Lea”
8. “Love In The Dark”
9. “Million Years Ago”
10. “All I Ask”
11. “Sweetest Devotion

PS: eu sempre vou cantar “hello, is it me you’re looking for?” do Lionel Richie. Não tem como, é involuntário.
PS2: melhor comentário do Youtube: “Adele is back… Sam Smith will all of a sudden go missing, watch… CAUSE THEY ARE THE SAME PERSON. You ain’t never seen them side by side have you?” HA HA!
PS3: Tava demorando né:

Comentários

comentários

Deixe uma resposta